Rogério Costa Pereira @ 21:26

Seg, 16/01/12

Pode!, desde que o partido que está no poder faça por não se confundir com o Estado. Desde que nós não assobiemos para o lado perante o arroz-com-feijão que nos servem a cada virar de disco. Porque há Estado além e aquém do Governo. Há Estado além e aquém do cartão do tempo que a cada tempo corre. O irónico é que isto está de tal forma entranhado que até parece normal. Uns mamam e os outros deixam mamar. Se Camilo, Eça ou Ramalho voltassem aos vivos-que-respiram continuariam as respectivas demandas no ponto em que as deixaram.



... partiu o espelho.