Rogério Costa Pereira @ 17:11

Sab, 04/02/12

Não aprecio o personagem, confesso, mas isso não me impede de dizer que assino por baixo da sua atitude de repudiar o Novo Acordo Ortográfico no CCB. Falar, como eu aqui estou a fazer, é fácil; concretizar, desafiar e resistir no terreno são outros quinhentos. Não reconheço legitimidade a este NAO imposto por decreto. Considero-o um golpe de estado linguístico e um atentado à cultura portuguesa, recheado com um rebaixamento luso a interesses que desconsidero e que por isso rejeito. Se isso for motivo para mostrar a porta da rua a VGM, pois seja. Marcou um ponto importante na reconquista do que é nosso e nos querem tirar. A desobediência civil não é sinónimo de acto terrorista. Lutar contra uma lei absurda é um dever cívico. Neste caso, VGM talks the talk and walks the walk. E vocês? Resistem à ignomínia? Ou submetem-se ao ridículo?



... partiu o espelho.