Rogério Costa Pereira @ 11:33

Seg, 09/05/11

Vivo nas alturas; não por causa da Estrela que me encima e observa de frente, mas porque o peso do litoral me eleva e quase afoga. E, literal e negra gravitas, o resto da semi-jangada de pedra alteia-se e rebaixa-se, tamanho é o peso da estrutura litoralista. Tudo o que se passa além litoral, não se passa. Lisboa e Porto. Braga e Coimbra. Chelas... Não me identifico com um país que nos olha − me olha − como um espécie de ultramar do tempos que podem. A expressão “pretos da Guiné” ainda troveja. Simplesmente, não contamos. Pois que se todos somos pastores. As vacas que pastoreamos valem meia-súcia de representantes na deífica capital. O cabeça de lista do PSD em Castelo Branco é um gajo que conhece bem a realidade beirã. Nasceu nos Açores. O do PS é um pára-quedista chamado Sócrates – parece que viveu por aqui. De porém em se – quando lhe dá jeito -, usa isso como apostilha biográfica. Sócrates é a nossa metáfora. Somos uma nota à margem neste vosso Portugal, demasiado pequeno para divisionismos ridículos. Direis… Assim não digo eu, que o cansaço dá em dor, a dor em revolta, a revolta em cansaço. E assim por diante. Cansei-me de ver a minha A23 comparada a uma daquelas A´s não-sei-o-quê do Norte que deixaram de ser scuts. E tão revoltados que eles estão, que passaram a ter apenas sete alternativas e meia. Já nós, sem A23, temos uma alternativa viável, sim. Partindo do princípio que a A23 foi quase toda construída em cima dum IP, a alternativa desobstruída chama-se mandar este pais bardamerda, que Espanha e os “assustadores” 20% de desemprego ficam ali ao virar da esquina. Cáceres, Badajoz, Salamanca estão-me mais próximos do que a vaidosa e arrogante e árida Lisboa, terra que aos 18 amei e aos 30 odiei. Agora, com quase 40, fujo dela como − asseveram-me a fidelidade metafórica − o diabo foge da cruz. O único PIB que me interessa, hoje por hoje, seria um Partido do Interior Beirão. Hilariante, não? Meia dúzia e meia de deputados elegíveis, assim mesmo, daqueles que Sócrates à parte, se sentam na fila dos mudos. Em 1, 2, 3, segundos, digam-me… Quem é Costa Neves? Google it e gozem-nos. E à suivre, por entre as gargalhadas de quem vive a 10 kms de Lisboa e demora três hora a lá arribar. A ver vamos, que o enfado é grande e o pessoal não é assim tão pouco. E afianço-vos, daqui a Viseu, de Viseu a Portalegre, da Guarda a Beja, demora-se menos tempo do que de Ranholas ao Rossio. E daqui a Espanha, então, é um saltinho. Olivença é deles!



... partiu o espelho.